domingo, 20 de maio de 2018

Milícia não é polícia


*Por Carlos Guimar

Há quem defenda a presença da milícia como a solução ideal para um basta na desordem urbana carioca, uma vez que o Estado se mostra cada vez mais enfraquecido com suas políticas públicas de mitigação à violência. Mas não é bem assim. Não se pode defender a atuação das milícias simplesmente como uma medida desesperadora de autodefesa cidadã.

Este é um dos pontos de vista defendido por Carlos Guimar, especialista e gerente de segurança corporativa da ICTS Security, no artigo "Milícia não é polícia". No texto, Guimar desfaz a certa visão encantadora que o grupo desperta aos olhos de comunidades, mostrando meandros desconhecidos pela grande massa, como a livre passagem que as milícias têm nos bastidores do poder estatal, com suas equipes compostas por policiais militares aposentados e/ou expulsos, bombeiros e outros profissionais ligados a entidades de proteção civil.
É enfatizando este poder paralelo que o especialista, com mais de 20 anos de atuação no mercado de segurança, explica o papel reativo das autoridades competentes para combater as milícias.
Um levantamento do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro revela que em oito anos as milícias dobraram sua área de atuação no município carioca. De 2010 até hoje, o total de favelas sob o controle de grupos paramilitares aumentou de 41 para 88. O dado é reflexo da forte atuação das milícias que, assim como as facções, se impõem atualmente como uma opção de combate à insegurança frente ao decadente cenário urbano do Rio.
Há quem defenda a presença do grupo como a solução ideal para um basta na desordem urbana carioca, uma vez que o Estado se mostra cada vez mais enfraquecido com suas políticas públicas de mitigação à violência. Mas não é bem assim. Não podemos defender a atuação das milícias simplesmente como uma medida desesperadora de autodefesa cidadã.

O encantamento popular se dá porque as milícias têm uma posição, digamos assim, mais oficial sob os olhos da comunidade. Talvez não é sabido pela grande massa da livre passagem que o grupo tem nos bastidores do poder estatal, com suas equipes compostas por policiais militares aposentados e/ou expulsos, bombeiros e outros profissionais ligados a entidades de proteção civil. Esta mescla de leis próprias com mecanismos estatais cria um poder paralelo, capaz de ganhar o respeito em determinados territórios do estado do Rio de Janeiro, sobretudo, os localizados em áreas periféricas.
Engana-se quem acha que há um cunho puramente social na gestão dos grupos paramilitares nas favelas. Eles até podem garantir mais segurança à comunidade em relação a outros criminosos, como assaltantes e traficantes, mas há um preço a ser pago pelos moradores. As milícias controlam serviços, como a TV a cabo e a distribuição de botijões de gás, bem como cobram taxa aos moradores e comerciantes. Um ato rentável, que despertou o interesse escuso de várias esferas oficiais da sociedade.

O apoio político também tem uma importante presença ao se envolver neste processo em busca de votos nestas regiões mais carentes. Juntando a fome com a vontade de comer, os políticos têm polos eleitorais estabelecidos nessas comunidades, conquistam votos de cabresto e, como forma de agradecimento, o estadista dá proteção aos criminosos.
Talvez isso explique o papel reativo das autoridades competentes para combater as milícias. Houve uma CPI isolada aqui. Algumas operações específicas quando a coisa estava muito gritante ali e, assim, seguiu o baile focando mais em ações contra as facções criminosas, tidas como não oficiais neste caso. Nada mais do que isso.
A cada dia, as milícias estão cada vez mais fortes, com muitas armas e muito dinheiro para financiar a compra de mais estrutura e o silêncio de muitos. Atualmente, mapeia-se, pela Inteligência da Segurança Pública, mais de 200 territórios espalhados por todo o Estado, onde já se falam de uma milícia pura, formada somente por agentes públicos, e de uma milícia mesclada, em que já houve o recrutamento e a junção de traficantes. 

Nesta última, se juntou também os modelos de captação de recursos, por meio de pedágios ilegais e do tráfico de armas e drogas. Por isso, pense duas vezes ao defender a presença de grupos paramilitares no quadro de intervenção do Rio de Janeiro. Não sejamos vítimas da nossa afoita ignorância, mesmo vivendo em tempos vulneráveis de violência. Milícia não é polícia.

Carlos Guimar é gerente de segurança corporativa da ICTS Security, empresa de consultoria e gerenciamento de operações em segurança, de origem israelense.

FONTE: IMAGE Comunicação Fone: 11 5072-9960
Dani Portela (MTB 30377)
daniportela@imagecomunicacao.com.br
Raphael Mathias (MTB 57477)
raphael.mathias@imagecomunicacao.com.br

Congresso debaterá Cidades Lixo Zero

O terceiro maior gasto dos municípios brasileiros é com lixo. Mudando a metodologia de destinação de resíduos sólidos, o Brasil poderá deixar de perder, anualmente, R$ 120 bilhões.

A primeira edição do Congresso Internacional Cidades Lixo Zero (Zero Waste Cities) será realizada no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, de 5 a 7 de junho. O evento é gratuito e reunirá grandes nomes internacionais, os quais apresentarão as melhores práticas e as mais avançadas tecnologias em gerenciamento de resíduos sólidos.
Representantes de cidades de todos os continentes e especialistas ligados à sustentabilidade e ao meio ambiente estarão na capital federal para apresentar seus casos de sucesso. Entre eles, Akira Sakano, presidente do Conselho de Administração da Academia Zero Waste no Japão, selecionada como Global Shapers do Fórum Econômico Mundial.
A academia é uma organização sem fins lucrativos criada em 2005 e baseada na cidade de Kamikatsu, a primeira comunidade local declarada para a ambição da Zero Waste no Japão, famosa por suas 45 categorias de coleta seletiva feitas por cada pessoa que vive na cidade e alcançou quase 80% de sua reciclagem de resíduos.
O contato com experiências como a japonesa prometem inspirar os gestores públicos e a sociedade brasileira como um todo. Outros grandes nomes que estarão em Brasília são Richard Anthony, presidente e fundador da Aliança Internacional Lixo Zero nos Estados Unidos; Charles Moore, capitão do navio de pesquisa Alguita, que descreveu as ilhas de lixo no Pacífico; e Leslie Lucaks, responsável pelo programa Lixo Zero em grandes estádios nos Estados Unidos como o Rose Bowl.
"Hoje, o lixo é o terceiro maior gasto das cidades brasileiras. Sempre que vejo alguém reclamar da falta de recursos para construir um hospital ou uma escola, lembro que tanto um quanto o outro estão sendo jogados no lixo", diz Rodrigo Sabatini, presidente do Instituto Lixo Zero Brasil.
Segundo pesquisa recente da Ciclosoft, de 2016, articulada pela organização Compromisso Empresarial para Reciclagem Cempre), realizada com 1.055 municípios brasileiros, a coleta seletiva está presente em apenas 18% dos municípios brasileiros. Sabatini relata que o Brasil produz 80 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano, cerca de 200 estádios de futebol.
Os números assustadores não param por aí. A economia brasileira perde, anualmente, R$ 120 bilhões por ano em produtos que poderiam ser reciclados.
Sabatini criou um simulador que mostra aos gestores públicos os gastos de seus municípios com lixo e como sairiam ganhando caso adotassem o conceito lixo zero. "É uma meta que precisa de tempo para ser cumprida, mas que vale a pena", explica o presidente. O simulador poderá ser consultado durante o Congresso Internacional Cidades Lixo Zero.
SERVIÇO
CONGRESSO INTERNACIONAL CIDADES LIXO ZERO
Data: 5 a 7 de junho de 2018
Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães – Brasília – DF
Público: prefeitos, legisladores, gestores públicos, organizações não-governamentais, acadêmicos, empresários, empreendedores, estudiosos do tema e sociedade civil.

Nas redes: FacebookLinkedInTwitterYoutube
Whatsapp: (61) 99320-9471
Inscrições GRATUITAS: pelo site http://www.cidadeslixozero.com.br
Mais informações:
Assessoria de Imprensa
Imagem Corporativa
(61) 3542-1501

Pluscargo Brasil exporta CRM para todas as filiais do Grupo RAS

Projeto de CRM da Pluscargo Brasil ganha destaque internacional e é adotado por demais unidades do Grupo

O Grupo RAS, pioneiro na administração de sistemas logísticos de distribuição no Comércio Internacional, acaba de aprovar a implementação da solução de CRM (Customer Relationship Management) denominada e-PLUS, que foi desenvolvida pela sua filial brasileira Pluscargo Brasil, para as demais operações localizadas no Uruguai, Argentina, Bolívia, Chile, Equador, México, Paraguai e Peru.
O projeto, que provavelmente iniciará pelo México, deverá começar a partir do segundo semestre de 2018. A expectativa é que até o próximo ano todas as filiais já estejam utilizando a solução e-PLUS, que foi desenvolvida por meio da plataforma GeneXus, fornecida pelo Socium Partner Group, distribuidor regional da GeneXus Brasil.
"Optamos por utilizar o GeneXus porque não queríamos nos preocupar com a programação, mas sim com o que precisava ser automatizado, ou seja, as necessidades do negócio. O e-PLUS foi desenvolvido a partir dos nossos requisitos e conhecimentos logísticos e a participação dos usuários foi essencial para criar um sistema com a cara da Pluscargo", pontua Felipe Angusti, desenvolvedor da ferramenta, que inicialmente trabalhava na área comercial da Pluscargo Brasil e não tinha conhecimento de programação.
Baseado em algoritmos de Inteligência Artificial, o GeneXus é reconhecido mundialmente por sua capacidade de automatizar o desenvolvimento de software. "Não é necessário ter conhecimento em programação para utilizar, mas sim do negócio. Uma pessoa sem conhecimento de programação, mas que conhece as necessidades do negócio, pode gerar a solução, levando os benefícios aos demais usuários, o que, consequentemente, coloca a empresa em outro patamar de gestão", acrescenta o diretor do Socium Partner Group, Marcus Costa.
Com a solução de CRM, o departamento comercial, que antes gerava propostas sem padronização e levava cerca de dez minutos para fazer uma emissão, hoje consegue otimizar este procedimento, levando apenas um minuto. "Ganhamos agilidade e conformidade em nosso processo comercial", acrescenta Angusti.
Além de enviar de forma padronizada as propostas comerciais e disponibilizar um repositório único de informações, tais como cadastro de clientes, histórico de processos e oportunidades de negócio, a ferramenta também oferece aos gestores uma plataforma de análise sob a performance do cliente e usuário.
"Somados todos os benefícios da solução e mesmo com todas dificuldades econômicas nos últimos anos, a Pluscargo conseguiu aumentar 30% as suas vendas", comemora Angusti, acrescentando que os benefícios também são repassados aos clientes através de uma interface que dá acesso a visualização dos processos e documentação das cargas.
"A exportação do e-PLUS às demais unidades do Grupo RAS prova que o GeneXus não só simplificou e automatizou o desenvolvimento de software baseado em algoritmos de IA, mas também deu condições à empresa de experimentar a inovação no negócio, levando o Grupo a uma gestão focada nos resultados", finaliza o country manager da GeneXus no Brasil, Ricardo Recchi.

Sobre a Genexus (www.genexus.com/pt/global)
A Genexus há 30 anos desenvolve e comercializa seus produtos para desenvolvimento de software baseados em Inteligencia Artificial (Genexus é um software que gera software!). Atualmente, atende mais de 8,5 mil clientes em 50 países através de uma rede de distribuidores e parceiros de serviços.

FONTE: IMAGE Comunicação - Renata Negri (MTB 57355)


Casa KM realiza doações especiais

Marcas devem estar cada vez mais conscientes de seu papel transformador na sociedade

A Casa KM, empresa especializada nos cuidados com a casa e com as roupas, realiza uma ação especial para casas, ONG's e instituições que tem como missão melhorar a qualidade de vida de crianças, idosos e animais resgatados. A consciência da cidadania tem ganhado cada vez mais espaços entre as gerações e se tornou um fator presente na vida das pessoas, que estão cada vez mais preocupadas com a coletividade e engajadas no bem-estar de todos. "Acreditamos que a responsabilidade social deveria ser pauta obrigatória em todas as empresas. Nosso papel como uma grande marca é o de se responsabilizar também por um mundo melhor, uma sociedade mais igualitária, ajudando a quem necessita. Assim, representamos também a vontade desses clientes que estão cada vez mais engajados nessa luta", afirma Erica Dias, Gerente de Recursos Humanos da Casa KM.
A empresa realizou a doação de 400 lava-roupas COQUEL Natureza Limpa, 292 limpadores perfumados Casa & Perfume de 500ml, 1 litro e 2 litros, 120 amaciantes de roupas Amacitel de 1 litro, para cada uma das casas: Lar dos Velhinhos, Lar da Criança Feliz, Casa da Criança Paralítica, CEI - Centro Educacional Integrado e CISA - Centro de Integração Social e Aprendizagem – todos localizados em Campinas e em Paulínia. Também foram doados 400 lava-roupas COQUEL e 48 limpadores Casa & Perfume de 500 ml e 120 amaciantes Amacitel para o Instituto Luisa Mell.

Fonte:


Jornalista Responsável: Euracy Campos

quarta-feira, 16 de maio de 2018

ÁLVARO DIAS “APOSTA NA INTELIGÊNCIA E COMPETÊNCIA” DA DRª GRAÇA CARVALHO


“Estamos tentando confiar na inteligência das pessoas, apostar na inteligência das pessoas. Eu conto com você. Eu aposto na sua inteligência, na sua competência, no patrimônio que você adquiriu também na sua profissão”.
Em fala gravada para a advogada e juíza de Direito aposentada Maria das Graças Carvalho de Souza Magalhães, a Drª Graça, pré-candidata a deputada federal (PODEMOS), o senador paranaense Álvaro Dias (PODEMOS) destacou qualidades da dirigente local do Partido. Drª Graça também tratou da vista do presidenciável a Imperatriz. Sobre este assunto, Álvaro Dias disse que já encaminhou à sua assessoria “para ajustar a data”.
Pré-candidato à Presidência da República com os menores índices de rejeição, Álvaro Dias agradeceu à Drª Graça “por sua disposição de ajudar”. Ele disse ainda à pré-candidata de Imperatriz que está “tentando criar paradigmas” para uma nova política, que “substitua a velha política, do velho costume, da prática antiga de grandes estruturas, das grandes alianças”. Em troca, Álvaro Dias propõe uma política feita por “pessoas lúcidas, conscientes, que valorizem o conceito, o patrimônio moral adquirido, a experiência administrativa”.
O senador paranaense disse “contar muito” com o trabalho e apoio voluntário da advogada e ex-juíza imperatrizense. “Nós estamos tentando realmente mostrar que é possível vencer uma eleição sem praticar a velha política do conchavo, do conluio partidário, da corrupção ativa e passiva, dessa corrupção do caixa 2, de muito dinheiro na campanha”  --  acrescentou Álvaro Dias. Em substituição a esse comportamento, o presidenciável disse “confiar na inteligência das pessoas, apostar na inteligência das pessoas”.
Referindo-se à pré-candidata a deputada federal imperatrizense, Álvaro Dias reforçou que Drª Graça “certamente vai se valer” da inteligência, competência e patrimônio moral “para ganhar as eleições”. “Torço muito por você e desejo sucesso”  -- finalizou.

O presidenciável Álvaro Dias já foi deputado estadual, duas vezes deputado federal, governador e está em seu segundo mandato de senador pelo estado do Paraná. Pelo PODEMOS, lançou sua pré-candidatura em 23 de março passado e é o autor do projeto que propõe o fim do foro especial por prerrogativa de função, conhecido como foro privilegiado, tema que recentemente foi objeto de decisão no Supremo Tribunal Federal e que já movimenta o Congresso Nacional  para votação de emenda constitucional em 2019.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Aluna SUPERA quebra recorde brasileiro de natação



Marília Barreiros, nadadora baiana, se prepara para fazer a travessia Mar Grande/Salvador, aos 80 anos
Marília Barreiros, nadadora baiana, se prepara
para fazer a travessia Mar Grande/Salvador, aos 80 anos.
Por Tatiana Olivetto*

Agilidade, determinação, raciocínio rápido e concentração. Habilidades que são desenvolvidas e aprimoradas durante as aulas de ginástica para o cérebro da rede SUPERA. Qualidades que a nadadora e aluna SUPERA da unidade de Salvador – Garibaldi, Marília Barreiros Correia de Melo têm de sobra. Aos 80 anos, Marília participou do Circuito Brasileiro Masters de Natação, evento promovido pela Associação Brasileira de Masters em Natação (ABMN). A piscina do SESI Clube de Natal, no Rio Grande do Norte, ficou pequena para o talento da simpática Marília. Representante baiana, Marília conquistou seis medalhas de ouro e uma de bronze, batendo o recorde brasileiro e sul-americano na modalidade 1500m.
Marília, que voltou a enfrentar as piscinas recentemente, após sofrer uma contusão, se sentiu orgulhosa pelo resultado: “Fiquei bem feliz com esses resultados, isso tudo é fruto de muita determinação, perseverança e um treinamento intensivo”, diz Marília, que nada todos os dias, sob a supervisão de Rogério Arapiraca, seu treinador desde 1986.
“Desde garota, sempre fui fissurada em natação. Aos 14 anos, ganhei minha primeira medalha de ouro, como recordista dos 100m nado peito. Nadava diariamente na piscina do meu colégio”. Marília foi a primeira mulher a completar a travessia a nado entre Mar Grande e Salvador. Aos 18 anos, a baiana atravessou 12 quilômetros, entrando para a história da cidade e se tornando um ícone do esporte. “Éramos 4 mulheres e só eu consegui finalizar a prova, fazendo 3h30m”.
De 1957 até hoje, Marília deu muitas braçadas por aí. Ganhou medalhas no Rio de Janeiro, participou de uma Travessia Internacional, concorreu ao Master Natação para Idosos em 1986, conquistou medalhas em Mundiais e nunca deixou de lado os benefícios da natação em sua vida.
Aos 60 anos, Marília decidiu fazer mais uma vez a travessia Mar Grande/Salvador. A baiana conseguiu quebrar seu próprio recorde, percorrendo 12 quilômetros em 2h54m. Hoje, aos 80 anos, a baiana se prepara para fazer a travessia mais uma vez, com possibilidade de entrar para o Guinnes Book, como a mulher mais velha a realizar tal feito.
SUPERA
Aos 80 anos, Marília se lembra de detalhes da época em que começou a nadar. Formada em engenharia civil, a esportista nunca largou a natação, sua maior paixão. E até hoje, Marília possui uma vida saudável e completamente ativa: “Hoje em dia, moro sozinha, meus dois filhos estão fora. Acordo, nado duas horas por dia, faço academia. Participo de aulas de dança de salão, faço as aulas do SUPERA… Tudo serve como terapia para mim. Encho minha vida como posso!”
Há dois anos, Marília potencializou sua performance no esporte e na vida, quando conheceu o Método SUPERA. “Eu tenho uma amiga, cujo esposo ficou com Alzheimer. Fomos à uma clínica e lá tinha um anúncio do SUPERA. Fui junto com ela para acompanhar uma primeira aula e desde então, frequento as aulas semanalmente na unidade SUPERA de Salvador – Garibaldi”.
Desde que iniciou as aulas no SUPERA, Marília já percebe o quanto as aulas lhe ajudaram, no esporte e na vida: “Sempre fui muito atenciosa, determinada. Agora, com o SUPERA, vejo que ajudou muito na minha memória, concentração. Admito que até a parte do esquecimento segurou bem mais, me deixou mais atenta, mexe com as sinapses neurais né?”, diz a simpática baiana. Segundo ela, foi criada a lei contra o esquecimento na sua rotina, garantindo assim a sua disposição e longevidade.
Neusa Nascimento, diretora da unidade do SUPERA em Salvador- Garibaldi, diz o quanto foi importante a presença assídua de Marília nas aulas: “Ela se envolveu e viu que era importante para manter-se saudável. Percebemos que melhorou sua concentração, perseverança e tolerância à frustração”.
E no esporte, o SUPERA foi fundamental. Marília conseguiu bater seu próprio recorde, atingindo resultados de maneira mais rápida e eficaz. “Agora, o SUPERA entrou na atenção quando estou nadando, a gente sente isso bem forte. Para isso, é muito importante o ábaco, os exercícios, me deixam mais rápida e confiante”. O convívio com os colegas das aulas também foi fundamental para Marília se sentir ativa: “Sempre fui muito bem entrosada e aberta para qualquer tipo de pessoa; ter colegas para conversar me deixa mais disposta”.
Marília conseguiu melhorar sua performance através do SUPERA, potencializando seus resultados e garantindo longevidade aos seus dias. Através de uma vida ativa e saudável, a baiana é exemplo de superação e de determinação, sendo um ícone de qualidade de vida e um orgulho a todos os nadadores e esportistas do país. “Enquanto puder, vou continuar nadando e me movimentando”, diz Marília. Um exemplo a ser seguido!

*Assessoria de Imprensa SUPERA

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Vereador faz palestra em escola e fala sobre funções do legislativo



Vereador Adhemar Jr faz palestra em escola e fala sobre funções do legislativo


 Nesta quinta-feira (05), a convite da direção da escola, o vereador Adhemar Jr. (PSC), proferiu palestra, sobre “as funções do vereador” para as turmas de alunos da 5ª serie do SESI de Imperatriz. O parlamentar iniciou falando um pouco sobre sua história e o porquê do interesse pela política. Em seguida, fez um breve relato do papel do vereador e sua importância para a sociedade.
Durante a apresentação os estudantes fizeram diversas perguntas referentes à educação, saúde, segurança, saneamento básico, infraestrutura e sobre o papel do vereador. Alguns alunos aproveitam a ocasião para relatar problemas que eles vivenciam em seus bairros.

Adhemar Jr. disse ter ficado muito satisfeito com o convite, ressaltando a importância da aproximação de representantes públicos com o público jovem. Ao se despedir, o vereador fez um convite para que os alunos visitem o parlamento municipal para que assim, conheçam de perto e possam ter uma maior integração com aquela casa. “Quem sabe daqui alguns anos, vocês não estarão ocupando uma cadeira de vereador”. Disse Adhemar Jr.
A coordenadora Silvania, satisfeita pelos resultados, agradeceu a participação do parlamentar e comprometeu-se em levar os alunos ate a câmara municipal para assistir uma sessão. Na ocasião, Adhemar Jr sugeriu à direção e coordenação sobre a possibilidade da criação do parlamento mirim dentro da escola. Uma forma de buscar informações e aproximar os jovens do conhecimento sobre direitos e deveres enquanto cidadãos e seu papel na vida social.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Ginástica cerebral melhora atenção, raciocínio, memória e criatividade


Especialistas enfatizam a importância dos cuidados com a saúde do cérebro, como forma de manter-se ativo, independente e saudável. O SUPERA, pioneira no ramo, oferece um curso de ginástica cerebral com metodologia exclusiva. O curso promove o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais, proporcionando aos alunos mais performance, saúde e qualidade de vida.
A ginástica cerebral melhora atenção, raciocínio, memória e criatividade. Com essas habilidades, os alunos se tornam mais seguros e mais preparados para aprender coisas novas, gerir desafios, trabalhar em equipe, praticar esportes, planejar e lidar com mudanças.
No SUPERA, crianças, jovens, adultos e idosos aprendem sobre o funcionamento do cérebro, tomam consciência de seu potencial, descobrem novas habilidades, praticam o ábaco, usam jogos e participam de dinâmicas de grupo. A ginástica cerebral pode e deve ser praticada em todas as idades:
Público infanto-juvenil: O SUPERA contribui significativamente para o desempenho escolar, comportamento e formação ética do aluno. É um complemento do ensino, sobretudo para quem vai prestar Enem, Vestibulares e Concursos.
Adultos: O maior benefício da ginástica cerebral para este público é o desenvolvimento de memória operacional, necessária para o bom cumprimento dos afazeres do dia a dia. A prática também melhora raciocínio, criatividade e visão lateral, importantes para a resolução de problemas complexos e a manutenção do foco para atingir objetivos.
Idosos: A expectativa de vida aumentou, mas de nada adianta chegar aos 90 sem independência e saúde mental. Com cérebro ativo, é possível manter-se jovem, trabalhando, viajando, empreendendo e comemorando novas conquistas. A ginástica cerebral promove bem-estar e longevidade.
O SUPERA tem uma rede de 300 escolas espalhadas por todo território brasileiro e já treinou mais de 100 mil pessoas em 12 anos, com a missão de leva-las a experimentar a emoção de pensar e agir de forma inovadora, desenvolvendo o potencial do cérebro.

quinta-feira, 29 de março de 2018

Polêmica sobre mudança no tráfego das Ruas Dom Pedro I e II


Sobre a mudança de sentido das ruas Dom Pedro I e II no bairro, Bacuri de Imperatriz (MA), vários vereadores usaram da tribuna na sessão de terça-feira (27) para reivindicar a casa legislativa intervenção no sentido que seja revogado a decisão da secretaria de trânsito de Imperatriz, inclusive, que seja aprovado uma lei ordinária em que para a existência de qualquer mudança de tráfego das ruas de Imperatriz, passe primeiramente pela aprovação da câmara municipal.
A despeito do assunto, o vereador Adhemar Jr. não concordou com o pensamento de alguns parlamentares.
Para Adhemar Jr. cada um no seu devido lugar. “Não cabe e não deve o parlamento municipal querer criar embaraços e engessar o poder executivo quanto as suas responsabilidades para as quais fora eleito. Se esta casa não concorda com determinadas ações e determinações do executivo, que façamos nosso protesto, nossas reinvindicações e tudo mais o que deve ser feito dentro dos tramites legais”.
“Não é porque discordo de um ato em especifico, como este ocorrido, que devemos querer engessar suas ações. A lei orgânica não faz essa previsão de forma clara e expressa em que para uma simples mudança de sentido de rua tenha o executivo que pedir autorização para essa casa. Acho uma incoerência deixar que os legisladores façam essa tarefa. Essa não é nossa atribuição, ate porque, o município tem engenheiro e técnicos de trafego para dispor sobre o transito da cidade. Acredito que o secretário de trânsito tem competência para desenvolver e executar suas tarefas com responsabilidade. Podemos sim, politicamente contestar determinadas ações que por ventura não formos a favor, e que esteja a prejudicar a população, mas não querer engessar o executivo em suas atividades, sinceramente não vejo razoabilidade desta casa querer agir de tal forma”. Afirmou o vereador.
As Entidades Políticas são aquelas que auferem suas competências da própria Constituição, exercendo-as com plena autonomia. “São pessoas jurídicas de direito público interno, possuidoras de poderes políticos e administrativos” . São elas: a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios.
O município integra a federação brasileira, conforme Arts. 1º e 18 da Constituição Federal (BRASIL, 1988), e possui autonomia política administrativa e financeira. Sob uma perspectiva jurídica, o município é uma entidade com personalidade jurídica de direito público interno. O governo é resultante da interação harmônica e independente do legislativo e o executivo: Não há “o governo” e “a câmara”. A “câmara” congrega os membros do poder legislativo, que, por sua vez, em interação com o poder executivo, operam o “governo”.
Não há hierarquia entre os poderes, mas existe, uma divisão de papéis e atribuições desses atores políticos, que devem cooperar harmonicamente – orientados para o interesse público. O poder executivo municipal desempenha suas funções por meio de um aparelho administrativo constituído por órgãos (secretarias, departamentos, serviços, etc.) e entidades (autarquias, fundações e empresas estatais), cuja configuração se orienta segundo as especificidades locais em termos de necessidades de oferta de bens e serviços públicos. Neste contexto, o artigo 23 da Constituição Federal de 1988, expressa que é competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios: Estabelecer e implantar política de educação para a segurança do trânsito.

Assessoria de Gabinete

sábado, 24 de março de 2018

Vereador Adhemar Jr. defende autonomia do legislativo


Na sessão ordinária desta quinta-feira (22),o vereador Adhemar Jr. (PSC) ao fazer uso da palavra, enfatizou seu apoio às ideias do vereador João Silva (PRB) quanto às emendas impositivas. Sabe porém que as ações e atos para tornar aquela casa mais autônoma, mais forte, o que é necessário, haja vista, representar a força popular, não serão tão fáceis, mas é uma responsabilidade de todos que compõe o legislativo.

Adhemar Jr. alertou para o fato que ocorreu no legislativo estadual em 2017. Ocasião em que o deputado Cezar pires em 2017, quis fazer uma emenda impositiva para os deputados e por interesse do Governo do estado, não foi aceito naquela assembleia. Não foi aceito porque o legislativo do Estado do Maranhão se curvou aos interesses do governador. Diferentemente da Câmara Municipal de Imperatriz que aprovou as emendas impositivas, independente dos interesses exclusivos do prefeito ou de quem quer que seja do executivo.
“Estamos muito na frente da assembleia do Estado quanto a esse ponto. Já provamos que temos posição, que não aceitamos atos e decisões sem o mínimo de análise”. Disse Adhemar Jr.

A respeito do que falou o nobre colega Carlos Hermes, eu não vejo, postura de autoritarismo por parte do prefeito Assis Ramos. Ao contrário do governador Flavio Dino que nem sequer aceitou a votação das emendas impositivas no legislativo. No seu discurso dizia ser contrário as medidas provisórias, e que ate iria escrever um livro sobre o assunto. Mas ao assumir o governo, encheu o Estado de medidas de provisórias. O que se vê nesses discursos são dois pesos e duas medidas. Continuou o vereador Adhemar Jr.

Assessoria de Gabinete