domingo, 17 de dezembro de 2017

Cresce a procura por vaga nos Colégios Militares


O primeiro Colégio Militar do Brasil nasceu, oficialmente, pelo Decreto Imperial Nº 10202, de 09 de março de 1889, com o nome de Imperial Colégio Militar da Corte, hoje o tradicional Colégio Militar do Rio de Janeiro. O objetivo do Patrono do Exército Brasileiro, Duque de Caxias e do marquês de Herval, era criar um colégio destinado aos órfãos de militares. Esta visão de estadista e educador de Duque de Caxias deu origem a outros estabelecimentos nos mesmos moldes.
No Maranhão a primeira unidade do Colégio Militar ocorreu através da Lei Estadual nº 8.509 em 28 de novembro de 2006, uma parceria entre a Secretaria de Estado de Educação do Maranhão (SEDUC) e a Polícia Militar do Maranhão (PMMA). O nome escolhido para o colégio foi do patrono das Polícias Militares, o Alferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes).
O Colégio Militar da Polícia Militar é um colégio da Rede Pública de Ensino Estadual que oferece o Ensino Fundamental (do 6º ano ao 9º ano) no turno matutino e o Ensino Médio (do 1º ao 3º ano) no turno vespertino. O funcionamento do Colégio Militar Tiradentes do Maranhão, segue os padrões de demais Colégios Militares do Brasil, possui uma estrutura diferente dos demais colégios da rede pública ou particular do estado, seguindo as diretrizes das Polícias Militares ou Forças Armadas, assim como, outros Colégios Militares da Federação, sem com isso, modificar o programa de disciplinas estabelecido pela Secretaria de Estado da Educação. Assim, a administração organizacional e disciplinar fica sob a responsabilidade da PMMA. O CMT2 de Imperatriz, conta com 2 pedagogos, um em cada turno.
O sucesso do Colégio Militar de São Luís despertou no Governo do Estado o interesse em criar mais uma unidade, atendendo assim os anseios dos policiais da Região Tocantina, em 2009 foi designada uma equipe do Colégio Militar de São Luís para apresentar um relatório com as necessidades para implantação de uma nova unidade desta vez na cidade Imperatriz que entrou em funcionamento em fevereiro do corrente ano sob o comando do Sr. Cel. Franklin Pachêco da Silva, Comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão na época.
 O ingresso no Colégio Militar dá-se através de um Processo Seletivo. O aluno ao ingressar no Colégio Militar terá uma nova experiência, pois deverá cumprir uma rotina diferente das demais escolas, será exigido disciplina, postura, conhecimento, respeito aos símbolos nacionais e compromisso com as tarefas escolares, uniforme, material de estudo, além do cuidado com a apresentação pessoal. Algumas normas são as mesmas de qualquer instituição de ensino a exemplo do horário de entrada e saída, a diferença que no Colégio Militar, elas são cumpridas. Assim como é exigido dos alunos a responsabilidade pela preservação de suas salas de aula.
Observa-se que o Colégio Militar Tiradentes 2 de Imperatriz, vem cumprindo seu papel sob a direção do Ten. Cel. George Silva Cavalcante que está comprometido juntamente com professores em construir um ambiente sadio, estimulante, que alunos ampliem suas experiências e propicie cooperação e respeito mútuo para a formação de indivíduos críticos, reflexivos e transformadores.
“Nosso papel na condição de policia, diferentemente do que alguns leigos acham, é principalmente o trabalho preventivo, e a educação pautada na disciplina e respeito sem dúvida terá um reflexo a longo prazo na formação desses jovens cidadãos”, diz o Ten.Cel. Cavalcante, diretor do Colégio Militar Tiradentes 2 - unidade de Imperatriz - que atualmente possui um contingente em torno de mil alunos.
 A idade mínima exigida para ingressar no colégio é de 10 anos de idade e o aluno deve estar dentro de um parâmetro de idade em conformidade com a série escolar. Os resultados finais são visivelmente percebidos pelo comportamento dos estudantes como em números, tanto que no último vestibular, o CMT aprovou 80 alunos para cursos superiores em universidades estaduais e federais. Esse número, de acordo com o diretor Ten. Cel. Cavalcante, corresponde a 50% do contingente interno que pleiteava vaga nas universidades. Todo o sucesso do colégio militar se dá aos princípios norteadores quanto à disciplina, respeito e a hierarquia.
O Ten. Cel. Cavalcante diz que, ainda há o estigma de que uma vez no CMT, o jovem estará sendo preparado para ingressar na policia, o que não é verdade. “Os alunos não são militares e nem estão sendo cobrados a seguir a carreira militar, porém, na condição de estudante em uma escola militar há de se convir que alguns critérios disciplinares são de extrema importância para o desenvolvimento do caráter desses estudantes. O objetivo do CMT é dar a esses jovens a noção de civilidade e implementar limites comportamentais que já não se vê atualmente”, afirma o diretor.
O fato é que a cada ano, aumenta a procura por uma vaga. O mais interessante que não se trata somente pelo fato de ser ensino gratuito, mas de acordo com alguns pais, o objetivo é que seus filhos possam ter uma educação disciplinar quanto a atitudes e comportamentos adequados dentro e fora da escola. A experiência vem ganhando força e o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, este ano já abriu seletivo para o Colégio Militar do Corpo De Bombeiros do Maranhão, onde serão oferecidas 111 (cento e onze) vagas distribuídas entre o ensino médio e fundamental na Capital maranhense.
Apesar de algumas críticas quanto a metodologia, não se vê nas escolas militares estrutura depredadas, desorganização, atitudes indisciplinares de alunos ou ate mesmo de professores como acontece em muitas escolas públicas. Os militares responsáveis, defendem que as normas e as exigências são pilares de preparação para a vida e que ter disciplina não é ser formatado como robô, mas ter consciência que a vida em sociedade requer seguir regras.
Se for para o bem de todos e a educação de jovens cidadãos pautados no respeito, disciplina e responsabilidade, que venha o Colégio do corpo de bombeiros para Imperatriz e também do exército, a exemplo de Belém (PA) e outras cidades 12 cidades já contempladas.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Tem inicio as articulações para as eleições de 2018 em Imperatriz.

A um ano das eleições gerais de 2018, os partidos políticos de Imperatriz já começam a se movimentar com o objetivo de escolher entre os possíveis pré-candidatos, aquele que melhor representará o partido no pleito eleitoral. Entre os correligionários, alguns nomes já aparecem em destaques no cenário para aprovação. Já há, sem a confirmação dos partidos, especulações de possíveis pré-candidatos ao cargo de deputado Federal, dentre eles, Agostinho Noleto (PMDB), advogado, escritor, membro da Academia Imperatrizense de Letras – AIL, ex-secretário municipal de educação, ex-secretário de Estado de Segurança, e ex-gestor regional da Secretaria de Estado da Educação e ex-suplente de Deputado Federal. Outro nome é do ex-prefeito de Imperatriz Ildon Marques (PSB) empresário, atualmente esta como suplente de deputado federal pelo Maranhão, já exerceu o cargo de senador (MA). O médico Antônio Leite (PMDB), que já foi suplente de senador. O empresário pecuarista e ex-Prefeito de São Francisco do Brejão, Franciscano (PSDB) e o empresário, Jurandir Teixeira (PMDB).
Também não poderia deixar de mencionar os apontamentos quanto aos nomes do médico Sebastião Madeira (PSDB) ex-prefeito de Imperatriz por dois mandatos consecutivos, ex-deputado federal e do Pastor Porto (PPS) ex-vice governador, ex-vice prefeito de Imperatriz e membro da Imperatrizense de Letras – AIL.
Imagina-se que a partir das indagações acerca dos prováveis pré-candidatos, em breve seja divulgado as confirmações para que a população vote em candidatos de Imperatriz e que em 2019 a cidade seja contemplada com a prestação de serviços dos políticos eleitos via região Tocantina.
Independente dos nomes mencionados acima, o ideal é que tenhamos a consciência que fazemos parte do processo democrático, que todos nós de uma forma ou de outra fazemos política. Não há como uma sociedade se desenvolver e crescer sem que as pessoas que fazem parte dela não se envolvam de forma cidadã.

E você, qual sua opinião sobre esses nomes?

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Imperatriz sedia o I Fórum de Desenvolvimento da Região Tocantina

Tendo como eixos de discussão e debate Políticas públicas, potencialidades, empreendedorismo e crescimento econômico, aconteceu nesta quinta-feira (09) no auditório do edifício Aracati Office, o I Fórum de Desenvolvimento da Região Tocantina. Uma iniciativa impar da Faculdade Devry Facimp em parceria com a Prefeitura Municipal de Imperatriz. Segundo o coordenador do núcleo de negócios da faculdade, Professor Carlos Vaz Sales (Carlão), o evento tem como objetivo “contribuir para a promoção do desenvolvimento da Região Tocantina através do fortalecimento das redes de conexão existentes entre os municípios que compõe este núcleo regional, identificando as potencialidades que venham a contribuir para sua própria sustentabilidade”.
24 prefeituras foram convidas para o evento e apresentarem em forma de vídeo o que há de melhor em seu município. 10 municípios se fizeram representar e 07 enviaram material eletrônico que foi apresentado aos participantes, sendo eles Açailândia, Carolina, Estreito, Gov. Edson Lobão, Grajaú, Itinga e Sitio Novo. O evento contou com a presença do governado do Estado do Maranhão, Dr. Flavio Dino que explanou sobre os investimentos aplicados na região, além de novos investimentos que estão por vir.
O evento foi um grande passo para abertura de novas propostas e um incentivo aos municípios apresentarem suas potencialidades para o II fórum, que com certeza a Devry realizará, apesar, da baixa participação das prefeituras nesse primeiro momento.
Um fato que chamou atenção, é que dentre os prefeitos convidados apenas o prefeito João Piquiá (Sitio Novo) e Vagtonio Brandão (Buritirana) se fizeram presentes desde a abertura oficial do Fórum. Os prefeitos Cicero Neco de Estreito e Lúcio Flávio de Itinga, por motivos de ordem maior, compareceram no período da tarde e prestigiaram o evento ate o final. Outros políticos, acharam mais importante aparecer somente junto com a comitiva do Governador e o pior, se retiraram junto com a comitiva governamental. O importante pra “esses” ao que parece, não era participar e prestigiar o evento, mas apenas aparecer na foto. E ainda teve prefeito que não mandou vídeo, nem representação, mas fez questão de entrar no momento em que o Governador Flavio Dino foi anunciado.
Para o público que se fez presente, que participou, que debateu, questionou, sem dúvida o evento foi de uma grandiosidade impar em termos de conhecimento e oportunidades.
Parabéns as instituições organizadoras, principalmente a Devry na pessoa do professor Carlão, pela iniciativa e empenho que teve em convidar pessoalmente cada município. A oportunidade foi dada, aproveitou quem participou.
Pra fechar, apresento-lhes a 24ª LEI do PODER
Do livro As 48 Leis do Poder dos autores Robert Greene e Jost Elffers
 24 LEI: REPRESENTE O CORTESÃO PERFEITO
O cortesão perfeito prospera num mundo onde tudo gira em torno do poder e da habilidade política. Ele domina a arte da dissimulação; ele adula, cede aos superiores, e assegura o seu poder sobre os outros da forma mais gentil e dissimulada. Aprenda e aplique as leis da corte e não haverá limites para a sua escalada na corte.

domingo, 29 de outubro de 2017

Prefeito João Piquiá, prestigia e homenageia servidores com festa em grande estilo.

A prefeitura municipal de Sitio Novo (MA), através do chefe do executivo João Piquiá, promoveu um momento de alegria e descontração para servidores públicos municipais. A festa em homenagem ao dia do servidor foi realizada na quadra do complexo escolar Deputado Lá Roque na ultima sexta-feira (27) e contou com a ilustre presença do deputado estadual Zé Inácio (PT). Além dos homenageados, fizeram-se presentes secretários, assessores do governo municipal e alguns membros do legislativo.
O Prefeito João Piquiá, agradeceu a presença dos servidores e ressaltou a importância de cada trabalhador como elemento fundamental na qualidade dos serviços à população. O prefeito destacou a importância da parceria e o empenho do deputado Zé Inácio, que não mede esforços para levar recursos para o município.
Deputado Estadual Zé Inácio, em sua fala parabenizou os servidores do município e enalteceu a administração do Prefeito João Piquiá, que apesar da crise, vem conseguindo se manter firme, com honra em seus compromissos e proporcionando o desenvolvendo em Sítio Novo. 
Os servidores foram contemplados com o sorteio de prêmios, patrocinados pelo Deputado Estadual Zé Inácio e a animação da festa ficou por conta da dupla sertaneja Bruno Sampaio e Josué e nos ritmos do DJ Henrique.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

A QUEDA DO IMPÉRIO MACEDO


O poder um dia acaba, porque tudo acaba, e isso é certo, e o “poderoso” fica sem saber onde foi que errou, culpando as pessoas, por serem incompetentes e incapazes de lhe acompanharem em sua heróica e maravilhosa jornada.

No jogo do poder as ferramentas de marketing são essenciais para a construção da marca pessoal e parafraseando o cantor Leo Jaime; “...o destino transforma num dia um menino em herói de TV”.
Assim, foi na pequena cidade de Porto Franco que tem um povo educado, colaborador com a limpeza e conservação do patrimônio público, localizada as margens da BR 010, a 101 km de Imperatriz, que se faz a história de nosso pretenso “herói”. Eleito prefeito e utilizando de uma engenharia simples e chamativa transformou a entrada da cidade no cenário digno, a priori para a ocasião, de cartão postal, servindo posteriormente de referência para outros municípios como Campestre e Estreito que adotaram o mesmo padrão. Porto Franco ficou conhecida como cidade limpa, bem cuidada, ruas pavimentadas, erradicação de casas de taipa, investimento na educação, saúde dentre outros atributos.
O crescimento e a visibilidade do nome do prefeito foram inevitáveis num curto espaço de tempo. Utilizando-se de influencia e astúcia politica vieram prêmios dos mais variados: prefeito empreendedor, prefeito amigo da criança, etc. Também ajudou nesse destaque o investimento no carnaval, diga-se de passagem, festa popular que apresenta grandes oportunidades para desvios e lavagem de dinheiro.
Assim como o grande Aquiles, herói grego, que tornou-se famoso por sua bravura e força, Deoclides Macedo conquistou o povo da cidade e região vizinha. Dono de um discurso afinado, simpatia de político à moda do abraço e tapinha nas costas, Deoclides “encarnou” o personagem de bom moço no meio de um sistema que ele criou em seus discursos, mostrando-se a vítima perfeita dos donos do poder. Um verdadeiro Robin Hood moderno; Por trás da máscara perfumada, sorriso bem cuidado e cabelos penteados foi conquistando novos aliados, e para tomar posse e pose de “liderança política da região”, usou da amizade com o ex-governador Jakson Lago, na época, e eis que deu certo.
Mas para quem sempre atacou a família Sarney denominando-os de “oligarquia”, ao longo do tempo, Deoclides não fez diferente tentou também construir a sua própria “oligarquia”, lógico que em menor grau. Assim, no processo de construção, elegeu o irmão Marcello como vereador, a irmã Valeria como deputada estadual, além de três tentativas de colocar sua marca no vizinho município de Estreito ao lançar a irmã Verbena prefeita daquele município.
No entanto, o grande articulador esqueceu ou negligenciou uma das regras básicas no jogo do poder que é de manter o controle nos tempos ruins, de ser mais próximo e amável com as pessoas. Aos poucos a máscara foi declinando, os cabelos ficando despenteados, os desafetos políticos crescendo e os inimigos políticos criando força.
O resultado foi evidenciado nas ultimas eleições para prefeito, o povo resolveu mostrar que o fenômeno Deoclides Macedo que tanto se orgulhava de chamar de seus eleitores e de entoar discursos de votos comercializados a lideranças menores da região e de outras partes do Maranhão, sentiu na carne o corte da navalha. A população resolveu mostrar que poder é do povo, esse mesmo povo que dá o poder, tira-o com sabedoria, com apenas a leveza de um tocar de dedos mostrando que não se deixa mais enganar.
A muralha do poder começou a desmoronar quando Deoclides fez uma campanha de louvor e se elegeu a deputado Federal. Seu calcanhar de Aquiles de quando ainda era prefeito, começou a aparecer e com descoberta de irregularidades à justiça impediu que o rei ocupasse o trono, a desmoralização veio à tona e por mais que tentasse encontrar culpados não passou de tentativas frustradas. O dinheiro guardado ajudou na contratação de bons advogados que o defendeu da justiça mais não foi o suficiente para defendê-lo do julgamento popular e o resultado veio à tona nessa eleição/2016.
Todos os municípios que o todo poderoso Deoclides Macedo mantinha alianças, apoiando candidato ao executivo como: Estreito, São João do Paraíso, Campestre, Lajeado Novo, Sítio Novo e Buritirana não obtiveram êxito. E sua pior derrota foi no município de Porto Franco, berço de sua trajetória de visibilidade. E como diz no interior, o “fumo foi grande”. Pareceu mais praga para aqueles que achavam que o fato de colocar Deoclides no palanque para mais um show do personagem “bom moço” vitima de todos e digno de medalhas no estilo novela mexicanas, seria o suficiente para se eleger.
O cenário politico do império Macedo parece sombrio e nebuloso para o próximo pleito eleitoral, sem base, sem aliados no poder executivo, sem curral eleitoral, vai refletir diretamente na pretensa tentativa de reeleição de sua irmã Deputada Valeria Macedo.
Os generosos são aqueles que sabem o quanto o poder é efêmero e transitório. Atentos à sua condição provisória, buscam sabedoria, portam-se com humildade, são agregadores e, acima de tudo, são justos e honestos. 

terça-feira, 30 de agosto de 2016

A FORÇA DA MULHER


A FORÇA DA MULHER

Por Clara Costa
As mulheres tem sido um dos maiores exemplos de superação da atualidade, elas aos poucos ultrapassam barreiras e conquistam cada vez mais seu espaço implantando um papel essencial para a formação de uma sociedade. A sensível figura feminina foi sendo remodelada a partir do século XIX, quando as mulheres começaram a contestar contra a ideia de inferioridade, exigindo a princípio, igualdade nos direitos de voto e oportunidade de exercer tarefas que antes não era a elas permitido. A participação das mulheres na sociedade se tornou cada vez mais clara e presente seja nas grandes empresas, instituições educacionais, na contribuição para a economia e na política.
A figura que me refiro neste texto, é uma mulher de hábitos simples, mas de decisões firmes. Natural da pequena cidade onde se costuma dizer que no coração do Maranhão bate Tuntum. Passou os primeiros anos de sua vida em Grajaú (MA), porém, escolheu Imperatriz para desenhar e fazer sua história. Aqui, foi vendedora de loja, atendente de bilheteria de cinema (Cine Marabá), estagiária de contabilidade, bancaria e professora. Graduou-se em História pela Universidade Estadual do Maranhão dedicando-se dentro e fora da sala de aula. A formação e o trabalho como professora intensificou o desejo de cada vez mais trabalhar em algo que viesse a contribuir para o desenvolvimento de pessoas, assim, o sonho vira realidade, em 1982, fundou ate então a modesta Escola Santa Luzia. O trabalho árduo e incansável, com dedicação, compromisso social e um olhar a frente de seu tempo, resultou-lhe a condecoração de “Mulher Empreendedora”, titulo reconhecido pelo SEBRAE entre as dez do Brasil.
Estou falando de Mirian Reis, mãe, mulher, empresaria, educadora, empreendedora. Casada há 38 anos, ela divide com o marido Alberto as atividades administrativas da escola. Mãe de três filhas, todas formadas e casadas. Católica herdou do pai a crença em Deus e respeito ao próximo e de sua mãe, trás o exemplo de luta, a importância do valor da mulher como dona de casa esposa e a sensibilidade e a percepção feminina.
Da modesta escolinha, o Santa Luzia passa a ser referencia com investimento no que há de mais moderno na educação para crianças e adolescentes, adotando métodos eficazes, associados a profissionais qualificados.
Admiradora de Madre Teresa de Calcutá e Margaret Thatcher, minha entrevistada dedica parte de sua vida a militar em atividades sociais exerceu o cargo público de secretaria Municipal de Desenvolvimento Social no governo do atual prefeito Sebastião Madeira, recebendo pelo serviço público o Selo UNICEF como a cidade que cuida das crianças.
Miriam eleva sempre a família e o bem querer ao próximo, principalmente as pessoas carentes. Para ela, o olhar no futuro deve ser voltado para as crianças de agora, cuidando, orientando e consequentemente prevenindo. “Todo esforço deve ser feito no educar para que a criança não precise de ação social no futuro. Isso é prevenir e sai muito mais barato”.
Com habilidade e muita destreza Miriam sempre conseguiu com eficiência desenvolver as tarefas que lhes são propostas e encara os desafios com naturalidade e desempenho, e mais uma vez esta aceitando um grande desafio compor a uma chapa para ocupação do cargo de administração do município de Imperatriz como vice-prefeita.  

sábado, 6 de agosto de 2016

GRUPO LIRA....UMA VISÃO ALÉM DO SEU TEMPO



 GRUPO LIRA....UMA VISÃO ALÉM DO SEU TEMPO


Enquanto alguns comerciantes tentam fugir da concorrência, abrindo seus negócios longe dos demais do mesmo segmento, outros se lançam bem no meio deles pra competir.  
Enquanto alguns economizam ate no cafezinho, outros fazem de tudo para oferecer o que dispõe de melhor, dentro de suas condições.
Enquanto alguns acham que investir em pessoal é despesa, outros encaram como um grande investimento ter pessoas competentes e educadas pra atender bem.
Enquanto alguns utilizam ate os espaços das calçadas destinadas aos pedestres/clientes com exposição de produtos, outros criam, inovam em oferecer conforto e comodidade pra quem procura seus serviços e produtos.
Enquanto alguns encaram a propaganda como despesa, e ate digo que é verdade, se a propaganda for feita de forma errada, direcionada no canal de comunicação errado, horário, e público errado. Outros procuram manter viva sua marca na mente do consumidor o ano todo através da comunicação.
E é exatamente nesse segundo time de pessoas com visão de futuro que se inseri o Grupo Lira, uma empresa com visão além de seu tempo. A primeira loja foi MOTOR DIESEL, que iniciou com apenas dois funcionários. Atualmente já conta com quase trezentos colaboradores.
Com estratégias sempre inovadoras, o grupo Lira destaca-se mais uma vez. Um investimento que para muitos poderia ser despesa, para João Lira, é um diferencial. Refiro-me a criação do estacionamento para veículos destinado aos clientes, construído numa área totalmente conturbada e de difícil acesso de vagas, pois além de não ter nenhum estacionamento particular, as ruas são extremamente estreitas. Todos que frequentam o centro comercial de autopeças penam na hora de estacionar seu veiculo para comprar um produto naquela localidade.
Vendo essa dificuldade de seus clientes, o grupo Lira, criou um estacionamento exclusivo com capacidade para 38 veículos. Em conversa com a gerente de crédito e cobrança, Ludiana Cortez, esta me informou que os clientes do GRUPO LIRA podem estacionar gratuitamente, seja pra fazer orçamento, compra, devolução de peças, troca, efetuar pagamentos, etc. 

Ao entrar com seu veiculo no estacionamento  é gerado um ticket, que receberá um carimbo de liberação após o atendimento em uma das lojas do grupo. Caso o consumidor compre em outras lojas do setor entroncamento que não seja do GRUPO, pagará normalmente pelo tempo de uso do estacionamento no valor de mercado.
Além do serviço de estacionamento gratuito, existe no local um funcionário exclusivo para orientar e direcionar o cliente para uma das lojas do grupo. Ou seja, alguém capacitado e orientado a prestar suporte de modo atencioso e caloroso, tanto  na chegada quanto na saída. O que é tipico e marca registrada do grupo Lira; atendimento prestativo e cortês de seus colaboradores. 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

VIVA CIDADÃO X CALÇADÃO DE IMPERATRIZ ...Mudanças, benefícios e polêmicas.


VIVA CIDADÃO X CALÇADÃO DE IMPERATRIZ
Mudanças, benefícios e polêmicas.

O Viva Cidadão de Imperatriz funcionava em uma única unidade no centro da cidade desde o ano 2000, atualmente a unidade atende cerca de 20 municípios além de outras cidades do Maranhão pessoa dos estados do Para e Tocantins também procuram o órgão para a retirada de documentos.
O Viva Cidadão é de responsabilidade do governo do estado e no mês de julho foi anunciado a mudança de local de funcionamento da Rua Godofredo Viana para o Imperial Shopping, fato este que a principio gerou polêmica entre alguns usuários, ambulantes, fotógrafos de plantão, moto taxistas com ponto fixo e a classe empresarial dos arredores, principalmente do calçadão. O ápice da questão por parte dos comerciantes do calçadão, centro comercial tradicional da cidade, é que a vinda de pessoas de municípios vizinhos que buscam o atendimento do órgão ajudava na movimentação econômica do local e com a transferência haverá prejuízos consideráveis.
No dia 11 deste mês às 19h no Centro de Convenções de Imperatriz, houve uma reunião, diga-se de passagem, um tanto conturbada com a classe representativa do comercio que tinha como objetivo prestar esclarecimentos sobre a decisão de transferência. Apesar das alegações do diretor do Procon/Viva Cidadão sobre os pontos positivos como conforto, segurança aos usuários e redução de gastos que atualmente segundo informações chegava estava na ordem de R$ 76 mil para o funcionamento no antigo prédio, agora será reduzida para R$ 20 mil reais, uma economia de 74%, houve resistência na comunicação e a insatisfação não foi contida.
O que seria pra ser uma reunião de negociações entre poder público e classe representativa, quase que se transforma num ringue. Os ânimos se exaltaram e culminou num bate boca entre o diretor do Procon/Viva, Sr. Duarte Junior e o presidente da Associação dos Lojistas do calçadão Sr. Marcone Marques. Ao contrario do que muitos esperavam, o diretor do VIVA apresentou um comportamento contrário ao que manda os princípios da boa diplomacia, principalmente em período eleitorais. De acordo com relatos, além de fazer questão de não ouvir a classe representativa do comercio, o Sr. Duarte Junior demostrou intolerância aos argumentos apresentados, somados a uma dose de arrogância e prepotência na forma de conduzir a reunião. Como se estivesse envolvido num sarcófago de auto suficiência, o nobre representante do VIVA, foi inflexível e fez questão de enfatizar que a decisão da transferência do VIVA era fato consumado e pronto.
O Viva cidadão já esta funcionando no Imperial Shopping e quem procura atendimento recebe o beneficio com desconto no estacionamento com a apresentação do cupom de atendimento, o custo é de R$ 1,50 para moto e R$ 2,50 para veículos. Com a mudança o numero de guichês de atendimentos dobrou de 30 para 60 e o horário de atendimento também sofreu mudanças. Agora é das 10h às 22h.
É natural toda mudança trazer resistências, polemicas, insatisfações, mas também oportunidades. As pessoas precisam saber se adaptar diante das transformações do mercado; a cada mudança, a cada atualização ou extinção de serviços, é imprescindível rever conceitos e estar aberto para outras oportunidades. Os perdedores de amanhã serão aqueles que não querem se adaptar às novas tendências, novas realidades. Os ganhadores serão aqueles que se mostram disponíveis e abertos para assimilar o novo. Serviços dentro de grandes Shoppings é perfeitamente normal em grandes centros urbanos, por gerar conforto, segurança, comodidade, opções diversificadas aos usuários. Imperatriz também não poderia ser diferente.
Com relação à necessidade de mudança e transferência do órgão, não há nada de errado, segundo o principio da eficiência na gestão pública em que se faz necessário, por parte dos governantes, adoção de critérios de conveniência e oportunidade, atendendo à economicidade, de modo a assegurar continuidade, regularidade e confiabilidade nos serviços públicos.
O erro, pelo visto, esta apenas nos personagens que conduzem os fatos.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Novela maranhense tem lançamento oficial em Balsas.



Terra Nova

Todo sonho é possível!
A cidade de Balsas, localizada a 389 km de Imperatriz, foi palco de um evento que oxalá entre para a história. O que outrora não passava de um sonho, na noite do dia 16 de julho (sábado), foi realizado no clube da AABB, a festa de lançamento de uma verdadeira obra prima genuinamente maranhense. Convidados presentes presenciaram o resultado de um trabalho árduo de dificuldades, poucos recursos, porém muita força de vontade, dedicação, perseverança, compromisso e uma grande vontade de ver o sonho sair do papel e tornar-se realidade. Tanto por parte do autor, atores, atrizes como também parceiros.
Foi nesta noite sublime que a cidade de Balsas presenciou o lançamento oficial para o mundo de TERRA NOVA, a primeira novela local produzida no interior do Maranhão. Seu enredo é de origem sertaneja, envolvendo brigas, traições, cultura, ódio, paixões, luta pelo poder, amor e um tema bastante atual, a corrupção na esfera politica. Nada a desejar para as grandes produções nacionais.
Com trilha de abertura feita por artista da terra, figurino, fotografia, trilha sonora, imagens, edição e interpretação em perfeita harmonia, tudo com riqueza de detalhes. A abertura de Terra Nova  mexeu com a emoção dos convidados e a reação foi imediata, a pequena mostra de uma grande produção cinematográfica da teledramaturgia foi reconhecida pelo público que ao término da exibição do thriller, aplaudiu de pé por alguns minutos interruptamente. TERRA NOVA, na sua simplicidade e grandiosidade, fez o público se emocionar.
“Terra Nova” foi possível, porque alguém sonhou e ousou. Este alguém que no seu dia a dia costuma usar a inteligência para criar e desenvolver atividades inovadoras e mesmo quando parecia já ter feito de tudo ainda foi capaz de surpreender. Este homem é Nonato Nogueira, um maranhense simples, natural de Fortaleza dos Nogueiras, interior do estado do Maranhão, criado pela avó Dilmira Cardoso que ainda adolescente despertou o interesse pela arte cênica e começou a participar de vários movimentos teatrais. A afinidade com a escrita teve início ao ser contratado pelo primeiro canal de televisão de Balsas.
Na TV sempre procurou estar adiante do seu tempo, criando e inovando seu jeito simples de se comunicar com o povo, de coração bondoso e a serviço dos menos favorecidos praticando a caridade sempre que possível. Nonato acredita que seu trabalho são sopros divinos através de anjos de luz que lhe inspiram a cada projeto e foi aí que teve um sonho de escrever um drama, uma novela. E ao clarear do dia, não perdeu tempo, começou a trabalhar em busca da concretização.
Com poucos recursos, foi em busca parcerias com amigos, empresários, voluntários e como ele mesmo diz, quem mais quisesse entrar nessa “loucura”. Comprou uma câmera e começou a montar o elenco com amigos de teatro (um bando de loucos) e outros jovens que aos poucos foram se identificando e dando vida aos personagens.  Além de escrever, Nonato dirigiu pessoalmente cada sete de gravação que pela dificuldade de equipamento, às vezes levava mais de seis horas para concluir uma cena. Somando no total mais de 04 anos de gravações ate o desfecho final.
 “Terra Nova” é o resultado brilhante desse “bando de loucos magníficos”. É o composto de um homem, sua fé, sua determinação, força de vontade e companheirismo.
Pela grandeza da obra, “TERRA NOVA” de um sonho à realidade, vai ser um grande sucesso que ultrapassará barreiras do ceticismo, cruzar fronteiras e ganhar o carinho do povo.  A conclusão do projeto ganhou patrocínio do Grupo Mateus e do governo do Estado através da lei de incentivo a cultura.

Parabéns aos atores e atrizes que acreditaram e embarcaram no sonho de Nonato Nogueira e fizeram este brilhante trabalho que com certeza renderá bons frutos.

POLITICA I


Oratória na Política

Falar em público não é apenas falar alto para todos ouvirem – e isto é o mais se vê - Falar em público é sustentar outro tipo de comunicação, diferente da forma usual. O que torna o ato de falar em público uma arte é que nele, contrariamente à representação teatral, o conteúdo da comunicação é variável, de livre determinação do orador, e o interesse da plateia não está previamente assegurado, pela sua mera presença. Conseguir ser ouvido, reter a atenção, emocionar pessoas, persuadi-las com argumentos, são desafios que se renovam sempre, na medida em que muda a plateia. Com relação ao discurso politico, alguns cuidados são imprescindíveis.

Primeiramente, o orador deve ter consciência do que deseja transmitir. Organizar mentalmente sua mensagem, ideias e apresentar de forma clara e convincente. Esta mensagem deve receber um destaque no discurso equivalente à força persuasiva que você deseja que ela tenha para seus ouvintes. O discurso político em campanha tem múltiplos públicos, cada público é sempre diferente do outro. Isto não significa mudar a mensagem, o discurso básico. Significa que a mensagem deve ser adaptada como relevância dos assuntos a serem abordados, tempo, tipo de linguagem, para o público específico e real que esta a ouvir.
Em segundo lugar, criar um clima para lançar a ideia é uma excelente ferramenta. Fazer uma preparação prévia, criar um clima para que ela seja apresentada no momento certo para produzir o efeito desejado. Esta criação pode ser feita apresentando estatísticas (simples de lembrar), ou contando uma estória, ou usando um fato recente de conhecimento do público, ou ainda dramatizando o problema para dar atrativo à solução. Ao falar sobre um problema, o ideal é começar relacionando-o com a vida das pessoas, da comunidade; valorizar o problema, descrever, ilustrar, apresentar exemplos (as pessoas tendem a dar mais atenção à doença e aos seus sintomas, do que à cura); a seguir fazer um diagnóstico preciso; para só depois apresentar a sua solução, da forma mais atraente, resolutiva, viável e realista, fazendo com que as pessoas visualizem os benefícios concretos que advirão da solução proposta.
É importante criar uma relação com o público, uma sintonia com o olhar. Alternar o olhar para diferentes lados, concentrando em grupos de pessoas. Estes grupos que recebem o seu olhar direto tendem a reagir primeiro à sua fala e responder com reações que se estendem para o conjunto. Uma reunião política sempre possui seus imprevistos. É o som que falha, o público é maior/menor que o previsto, é a súbita mudança do clima, é a luz que falta, até os imprevistos provocados pela audiência como brigas e discussões, o bêbado de plantão, provocações de adversários etc. Navegue em meio a estes imprevistos com bom humor, paciência e serenidade. Seu objetivo é conseguir fazer passar sua mensagem, mesmo diante de dificuldades inesperadas. Por isto, encontrar um vínculo emocional é tão importante. Atenção emocional não significa pieguice. Se você iniciar seu discurso falando sobre um assunto relevante para eles e que vá ao encontro de um sentimento forte que nutrem (temor, preocupação, indignação, desejo, esperança etc), você com certeza terá maior chance de conseguir a atenção do público e ser ouvido.
Cuidado com o fato de deixar as pessoas esperando. Pontualidade não tem a ver diretamente com discurso em si, mas tem muito a ver com o estado de espírito do seu público. Pessoas reunidas por muito tempo, esperando tendem a desenvolver um desanimo para com quem vai falar. Não precisa ser uma pontualidade britânica, mas o atraso não deve exceder 30 minutos. Outro fator importantíssimo é cuidado com a referência pessoal aos líderes locais - As pessoas que se reuniram para ouvi-lo foram, na sua maioria, levadas por lideranças locais. O momento do encontro com o candidato é também, para estas lideranças, a oportunidade de provar pares que são conhecidos, respeitados e possuem acesso ao candidato. Sua referência a eles (todos, se algum for omitido ele não esquecerá) é indispensável para que continuem trabalhando na campanha com entusiasmo. Finalmente, a entrada e saída do candidato são também parte do ato público. Cumprimente o máximo possível de pessoas ao entrar sem deixar de avançar em direção ao local do discurso. Tenha a seu lado, na entrada e na saída, um ou mais assessores para receber bilhetes, pedidos, recomendações, pedidos de encontro etc. Na saída, dependendo do tempo disponível, cumprimente o máximo de pessoas que puder. 
Entregue aos assessores a ingrata tarefa de interromper suas conversas, insistindo que você já está atrasado para o próximo compromisso. Instrua seus assessores para que eles peçam às pessoas que colaborem com você, para poder cumprir sua agenda. Você deve dar a impressão às pessoas que falam com você que tem todo o tempo do mundo para elas. São os assessores que, queixando-se de você ("Se a gente não forçar ele não sai daqui, é sempre assim..."), conseguirão tirá-lo da situação, deixando ainda a impressão de que você queria continuar lá, falando com eles.